O Centro de Tradução está firmemente convicto de que a qualidade sustentável exige planeamento e organização ao nível da gestão, razão pela qual adotou um conjunto de medidas a implementar antes, durante e após a tradução.

Tais medidas podem dividir-se em três áreas: i) pré-requisitos de qualidade, que criam as condições adequadas para a produção de traduções de elevada qualidade, ii) controlo de qualidade, que tem lugar durante o próprio processo de tradução, e iii) avaliação da qualidade, que permite ao Centro melhorar ao longo do tempo a qualidade do seu desempenho.

PRÉ-REQUISITOS DE QUALIDADE

O aspeto fundamental nesta área é a seleção e recrutamento rigorosos de tradutores internos. O Centro seleciona e recruta os seus recursos humanos com base em duas disposições gerais de execução em matéria de recrutamento de agentes temporários e contratuais.

Além disso, o Centro define escrupulosamente os critérios aplicáveis aos procedimentos de concursos públicos com vista à seleção de prestadores de serviços externos, de modo a que os contratos-quadro de tradução sejam atribuídos aos melhores contratantes externos.

CONTROLO DE QUALIDADE

Os linguistas do Centro verificam e reveem de forma sistemática o trabalho realizado pelos contratantes externos. Além de assegurar a implementação de melhorias nos textos antes da entrega aos clientes, este procedimento favorece também um aumento constante da qualidade do trabalho dos contratantes externos ao longo da duração dos contratos-quadro. Um processo de reclassificação assegura que os contratantes externos subam ou desçam posições na lista de classificação, de acordo com a qualidade do trabalho realizado, de forma a que os contratantes com melhor classificação possam ocupar posições cimeiras na lista de contratantes externos. É preenchida uma ficha de avaliação para cada trabalho externo realizado, na qual consta não apenas uma avaliação geral da qualidade da tradução, mas também, quando necessário, informações pormenorizadas sobre os tipos de erros encontrados. Os revisores internos transmitem também, quando necessário, o seu feedback aos tradutores externos e, se for o caso, as traduções corrigidas são posteriormente enviadas aos prestadores de serviços externos para referência futura.

Todas as traduções dos tradutores internos são verificadas por outro membro da mesma equipa linguística, de acordo com o princípio da verificação cruzada e os critérios definidos no Manual de Garantia da Qualidade da Tradução.

Juntamente com estes controlos de qualidade antes da entrega, o Centro introduziu em 2010 verificações de qualidade ex-post, efetuadas com base em amostras aleatórias, em que os tradutores internos são avaliados por peritos externos.

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE

O Centro utiliza várias ferramentas com vista a assegurar e avaliar a qualidade e a satisfação dos clientes, das quais se destaca o Formulário de Satisfação do Cliente (CSF). Este formulário permite aos clientes utilizar o Portal do Cliente do Centro para transmitir feedback positivo ou negativo sobre qualquer documento tratado, possibilitando assim ao Centro conhecer as preferências dos clientes e, simultaneamente, corrigir eventuais problemas recorrentes. Além da resposta dada ao feedback dos clientes caso a caso, os comentários dos clientes são analisados ao nível operacional no sentido de aferir sobre a eventual necessidade de medidas de qualidade mais abrangentes para satisfazer os requisitos dos clientes.

O Centro conduz ainda inquéritos periódicos aos clientes, destinados a avaliar a satisfação dos utilizadores a longo prazo e a identificar áreas de melhoria em termos de qualidade linguística e de qualidade dos seus serviços em geral. Os referidos inquéritos são úteis para identificar as perceções dos clientes quanto aos pontos fortes e fracos do Centro e fazer um balanço do desempenho geral do Centro no que respeita a cumprimento de prazos, qualidade, capacidade de resposta a problemas encontrados e conhecimento das necessidades e ambientes empresariais dos clientes.