O Centro de Tradução trabalha com prestadores de serviços linguísticos externos para trabalhos de tradução, modificação, revisão, controlo editorial, terminologia e listas de termos, de modo a dar resposta às necessidades dos seus clientes, no que respeita aos serviços linguísticos.

External language service provider

Para externalizar estes serviços, o Centro utiliza contratos-quadro ou contratos específicos, dependendo do tipo de serviço, da combinação linguística e do domínio solicitado pelo cliente. Os contratos-quadro são assinados com os prestadores de serviços que tenham sido aprovados nos concursos públicos organizados pelo Centro. Estes contratos são válidos durante um ano e podem ser renovados, por acordo tácito, por períodos sucessivos de um ano, sendo que a sua renovação não pode, contudo, exceder a duração total de 4 anos. Os contratantes são contactados assim que o Centro recebe um pedido de serviço linguístico por parte de um cliente. Se o primeiro contratante da lista não puder executar o pedido ou não responder ao pedido, o Centro pode oferecer o trabalho ao segundo contratante, e assim sucessivamente. Os contratos específicos são assinados entre o Centro e um determinado prestador de serviços linguísticos externo para a prestação de um serviço linguístico específico e num domínio não abrangido pelo contrato-quadro ou se nenhum dos contratantes da lista do contrato-quadro puder executar o trabalho.

O moderno modelo de externalização proativa em vigor no Centro baseia-se em três elementos: prestadores de serviços linguísticos externos especializados, um sistema de avaliação (reclassificação) dinâmica (introduzido pela primeira vez na UE pelo Centro), que garante o recurso aos prestadores de serviços linguísticos mais bem classificados, e a disponibilização de recursos linguísticos aos prestadores de serviços externos para os ajudar no seu trabalho.

Todos os trabalhos executados externamente e entregues ao Centro por prestadores de serviços linguísticos externos devem ter uma qualidade suficientemente elevada que permita a sua utilização, tal como estão redigidos, sem qualquer revisão posterior pelo Centro. Contudo, como parte da sua avaliação em matéria de garantia da qualidade destes prestadores de serviços, todos os trabalhos são sistematicamente revistos por linguistas internos, com recurso a uma ficha de avaliação, com o objetivo de verificar se os trabalhos se adequam aos fins a que se destinam. A ficha contém uma avaliação global da qualidade da tradução ou da edição e, se necessário, informações pormenorizadas sobre os tipos de erros detetados. A avaliação do Centro incide em aspetos como a exaustividade e a exatidão, a citação correta dos documentos de referência e dos materiais publicados, o cumprimento das instruções e a coerência terminológica e estilística.

O Centro externaliza serviços linguísticos sobretudo nas 24 línguas oficiais da UE, mas também noutras línguas não oficiais, como o islandês, o norueguês, o árabe, o russo, o sérvio, o chinês, o japonês, o hebraico, o farsi, etc.